Yoga, saúde e propósito de vida: uma entrevista com a médica e yogaterapeuta Tati Debiasi

Yoga e saúde
Foto: Emiriê Hein

Não há dúvidas que o Yoga  traz uma série incontável de benefícios para o corpo e para a mente, influenciando diretamente na nossa saúde. Uma recente pesquisa americana, inclusive,mostrou que a prática de Yoga para portadoras de câncer de mama, reduz os níveis de cortisol (hormônio produzido em situações de estresse) e trouxe a melhora do funcionamento do organismo das mulheres como um todo.

Esse é apenas um dos dados trazidos no texto de hoje, Dia Internacional do Yoga, pela médica especialista em oncologia, Tati Debiasi. Tati é também yogaterapeuta, formada pelo Centro de Yoga Montanha Encantada, em Garopaba, e idealizadora do Padma Shala, junto do marido e também médico oncologista Rodrigo Debiasi.

Na entrevista abaixo, com a Tati, a gente vai saber os motivos que fazem o Yoga ser receitado até mesmo nos consultórios médicos.

Foto: Rodrigo Debiasi

Leve-se – Existem estudos que comprovam que o Yoga pode ajudar no tratamento alternativo de combate a doenças como o câncer. Você pode explicar sobre a relação da prática do Yoga com o combate/ prevenção ao câncer?

Tati Debiasi – Aceitar limitações impostas pela doença, e buscar alternativas que promovam bem-estar físico e emocional diante das condições que o câncer impõe, são medidas importantes para a manutenção da qualidade de vida desde o diagnóstico, durante e após o tratamento. Nessa situação o corpo e mente experimentam sensações desconhecidas, e muitas vezes não permitem ao paciente a possibilidade de exercer um controle satisfatório sobre si mesmo. O Yoga é uma filosofia milenar surgida na Índia e que tem como fundamento facilitar a conexão corpo-mente, com uma força superior, promove o autoconhecimento, o bem-estar físico e psicoemocional. Já foi estudado no mundo todo e tem seus benefícios comprovados cientificamente.

Pesquisa americana recente, que incluiu portadoras de câncer de mama, mostrou que a prática do Yoga, além de reduzir os níveis de cortisol, promoveu melhora no funcionamento do organismo das mulheres como um todo. Houve um aumento na capacidade de exercitar tarefas do dia a dia, reduziu o cansaço, melhorou a qualidade do sono e fez com que as pacientes encontrassem uma forma menos sofrida de lidar com a doença. Ainda segundo esse estudo, a prática do Yoga melhorou o humor, devido ao estímulo à produção de um neurotransmissor conhecido como GABA, que quando em baixos níveis, está ligado à depressão e ansiedade.

Atualmente, o Yoga faz parte do rol de tratamentos complementares oferecidos pela maioria dos centros de oncologia. A concentração na respiração (pranayamas) e posturas (ásanas), e a meditação são práticas que favorecem a redução da tensão no corpo e permitem que a mente silencie e se tranquilize.

A prática do Yoga não tem como objetivo substituir tratamentos convencionais, como cirurgias, quimio ou radioterapia, mas ela vem pra complementar, agregando uma visão do ser humano como um todo, e não focando apenas na doença. Assim fortalece as virtudes de cada um, contribuindo positivamente no enfrentamento desse momento difícil.

Para quais outros tipos de prevenções/doenças a prática de Yoga pode ser benéfica?

Tati – A prática de Yoga reduz o cortisol, hormônio relacionado ao estresse, que é causa direta ou indireta de dezenas de outras patologias, tanto físicas quanto emocionais. Além disso a filosofia do Yoga reforça a necessidade do indivíduo de auto-cuidado, então é natural que o praticante busque uma vida mais saudável, através da alimentação, de exercícios físicos, de atitude mental positiva e também aprendendo na prática a escutar melhor os sinais que o corpo emite quando algo não vai bem, fazendo aquelas mudanças necessárias para a retomada do equilíbrio. Em Yoga, equilíbrio é sinônimo de saúde plena. Portanto, qualquer condição de saúde pode se beneficiar dessa prática, seja para auxiliar o tratamento convencional, seja para amenizar sintomas ou para servir de apoio emocional no enfrentamento do problema.

Yoga e saúde
Foto: Rodrigo Debiasi

No ano passado o Ministério da Saúde incorporou ao SUS práticas de yoga, meditação e ayurveda. Como médica profissional da saúde, o que achou dessa decisão?

Tati – Acho excelente. Num sistema de saúde à beira do colapso, terapias de baixo custo e voltadas à prevenção, a longo prazo, contribuem para redução do número de pessoas com doenças evitáveis, passivas que estavam esperando uma solução externa milagrosa para seu problema. O Yoga ajuda que as pessoas assumam as rédeas da própria vida e assumam a responsabilidade por se manterem saudáveis, reduzindo a necessidade de consultas, internações e medicamentos.

Você é médica especialista em oncologia e hoje não atua mais em consultório médico. Como surgiu a decisão de transformar esse caminho, abandonando o consultório e investindo mais no Yoga?

Tati Paciente: pessoa que devido a algum problema de saúde procura um médico, conta sua história e espera pacientemente por uma solução externa, sejam pílulas milagrosas ou uma lista gigantesca de exames que mostrarão onde está seu problema. Problema, que na maioria das vezes foi causado por ela mesma, seja por seus hábitos de vida, pela maneira que alimenta seu corpo e sua mente, por falta de descanso, stress, sedentarismo, tabagismo, etc. O problema de saúde vem de “dentro”. Ah, mas é mais fácil esperar que a cura venha de fora, de preferência, uma pílula, dose única, efeito imediato, barata, sem efeitos colaterais. “Anestesiando” os sintomas e seguindo a vida com os mesmos hábitos, amanhã estarei pacientemente esperando pra ser atendida por outro médico, devido a outro ou o mesmo problema de saúde. E assim por diante… Faz ciente, a pessoa que diante de uma doença ou em risco de adoecer não irá esperar pacientemente a cura milagrosa, mas irá iniciar uma busca interna pela cura, através de uma transformação pessoal, atitudes mentais positivas, alimentação saudável, esportes, meditação, busca de um propósito de vida. O resultado é plenitude. Harmonia. Equilíbrio. Saúde plena. O caminho dos “Faz cientes” é mais longo, mais difícil, exige esforço, disciplina e coragem! Mas é extremamente gratificante e não tem volta, é permanente!

Já fui paciente. Já tive muitos pacientes. Mas durante meu processo de crescimento senti que estava no caminho errado. Eu quero um mundo de “faz cientes”, um mundo de pessoas que tenham as rédeas da própria vida, conscientes, despertas, vivas! Quero um sistema de saúde que não esteja à beira de um colapso devido à doenças 100% evitáveis. Tá aqui a resposta, de porquê hoje atuo como promotora de saúde e não mais como prescritora de medicamentos.

Yoga e saúde
Foto: Rodrigo Debiasi

Como a medicina e o Yoga se complementam na tua vida?

Tati – Dentro da minha jornada de vida percebi que o meu propósito nessa existência é inspirar, auxiliar, educar as pessoas que estão em busca de saúde e equilíbrio em suas vidas. Seja como médica, como professora de Yoga, como chef de cozinha natural*, atleta ou somente como Tati, sou capaz de exercer esse propósito, sempre buscando estudar e seguir evoluindo com humildade e respeito pelas pessoas. Não preciso de títulos para manter-me fiel a minha verdade interior que é fazer o bem, sempre e para todos.

* Tati também é  triatleta e natural chef, formada pelo Nós Escola, no Rio de Janeiro

Leia também outras matérias publicadas sobre Yoga:

Dicas de livros para conhecer, entender e praticar Yoga

Yoga e respiração: a importância da respiração consciente e os pranayamas

A poesia fotográfica em Yoga: A Arquitetura da paz

Liciane Brun

Jornalista em aprendizado constante e com a alma mesclada entre o amor pela cultura e tudo o mais que trouxer leveza. Encontrou na escrita um pouco de paz. Permite-se a clichês: amar e mudar as coisas interessa mais.

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *