Leo Bianchini, da 5 a Seco, lança financiamento coletivo para seu primeiro disco solo

Com 10 anos de estrada, Leo Bianchini se prepara para lançar o primeiro álbum solo da carreira. Um dos nomes à frente da banda 5 a seco, o músico lançou um financiamento coletivo para captação de recursos para finalizar o disco.

Leo Bianchini
Foto: Instagram @leobianchini

A obra trará 10 canções inéditas que traduzem a trajetória musical de Bianchini. Um trabalho com tom biográficoque traduz em sonoridades as vivências dentro e fora da música. “Nesse álbum têm canções feitas há dez anos e outras finalizadas ali, 10 minutos antes de gravar. É muito eclético e tem um pouco de tudo o que desenvolvi musicalmente em toda a minha trajetória”, conta ao Leve-se.

No álbum ainda pulsa o percurso trilhado no 5 a seco e em outros projetos que integrou. “Devo muito a minha vivência com Barão Di Sarno e Leo Versolato, do EP Risco e do disco Mundrungo, e também a vivência com músicos imigrantes e refugiados do projeto Músico Cidadão”, comenta o cantor e instrumentista que tem seis discos coletivos lançados.

O trabalho solo foi produzido, em 2019, pelo músico em parceria com outros membros da banda paulista: Tó Brandileone e Pedro Altério. “Uma produção 3 a seco”, brinca Leo. “Foram momentos de produção muito fluídos. Nós já temos muita intimidade pessoal e musicalmente após muitos anos trabalhando juntos”, completa ele.

As gravações, realizadas no estúdio de Tó,  foram feitas em duas etapas e duraram dois meses. “Gravamos nós mesmos praticamente todos os instrumentos do disco, o que foi muito divertido”, diz Leo. O disco também conta com diversas participações especiais.

Sons pelo mundo

O título e a arte do álbum seguem em segredo. Contudo, o músico já lançou duas prévias de faixas que estarão no primeiro trabalho solo: acomposição Ser será, feita com Vinicius Calderoni (do 5 a Seco), e Tum Tum (confira abaixo), uma parceria de Bianchini com Tó, Chico Cesar e Marcelo Segreto.


Os spoilers foram compartilhados de Portugal, país em que Leo reside com a esposa, Laura. Segundo o cantor, ainda é cedo para enxergar o que a mudança para a Terrinha pode ter agregado à sua musicalidade. “Depois de poucos meses que cheguei já nos recolhemos em quarentena, mas já dá pra sentir o prenúncio de um tempo de calma e mergulho em novas pesquisas e estudos”, explica.

Como contribuir

Leo Bianchini preparou 11 recompensas para quem contribuir com o álbum. Entre elas estão um songbook do disco novo com dedicatória, uma audição online, um show intimista e um curso de música.

Os apoios partem do valor de R$ 20. Quer ajudar na campanha? Acessa aqui! 

Leticia Sarturi

Jornalista. Mestre em Comunicação, Arte e Cultura. Pós-graduanda em Estudos de Gênero. Acredita no poder das palavras para promover a representatividade e o respeito à diversidade. Bota fé na empatia para transformar o cotidiano… E é apaixonada por moda e caveiras.

 

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *