Confraria de vinhos: bebendo e aprendendo entre amigos

Reunir-se com os amigos sempre é bom! Mas agora, reunir-se com os amigos para apreciar e aprender mais sobre vinhos é melhor ainda! Há quem diga que para realizar uma degustação informal é preciso ser grande entendedor de vinhos. Não concordo com esta afirmação, pois acredito que a afinidade por vinhos, junto com a vontade de aprender a identificar aromas e percepções gustativas, já estão de bom tamanho para montar uma confraria de vinhos entre amigos. A única regra, ao meu ver, é ter preferência por vinhos secos, independente de ser tinto, branco ou rosé.

taças e garrafa de vinho em cima de uma mesa

Quero demonstrar como é simples montar uma confraria de vinhos, onde é possível dividir os custos de vinhos mais caros, e fazer com que cada encontro se torne um momento agradável, para aprimorar na memória os aromas e sabores do mundo dos vinhos.

E como montar uma confraria de vinhos?

Para criar sua confraria de vinhos, antes de tudo, sugiro que você tenha um grupo pequeno, de 6 pessoas – no máximo dos máximos 8 pessoas. Este número limitado de participantes é de grande importância, pois é difícil de acomodar muitas pessoas em uma mesa de jantar. O encontro da confraria precisa ser realizado sentado, precisamos de uma mesa para deixar as taças disponíveis, e assim realizar as comparações entre os diferentes vinhos. Outro fator que facilita pelo grupo ser menor, é a organização de marcar cada encontro em uma residência, pois não necessita de um local fixo. Isso também deixa mais interativa a participação de todos – cada um visita a casa do outro neste rodízio.

Além dos diferentes rótulos, para realizar uma degustação é essencial termos taças de vinho transparentes com haste alta e com bojo mediano. Este tipo de taça ajuda positivamente na degustação, pois evita o aquecimento através do contato direto com o bojo e permite a aeração da bebida com os movimentos circulares. Outra dica interessante é cada amigo ter seu próprio kit de taças, porque é comum as pessoas terem no máximo um jogo de seis taças em casa, assim descomplicando a louça acumulada de “mil” copos para anfitrião da vez.

Taças ideais para as degustações de vinho

Grupo formado, cada um com suas taças em mãos. E agora? Vamos ao tema! Como assim, tema? Pois bem, definir um tema da degustação é o melhor ponto de partida para uma confraria de vinhos. Dentro do mundo do vinho, temos diversos tópicos para abordar. O mais utilizado é de comparação regional, no qual degustamos diferentes rótulos de uma única variedade, podendo ser merlot, cabernet sauvignon, chardonnay ou outra uva de sua preferência. O interessante é escolher a mesma safra dos diferentes vinhos, porém de diferentes regiões, países ou continentes. Abordar sobre este assunto se torna interessante para identificar a influência geográfica das diferentes regiões, que estão diretamente ligadas ao aroma e sabor da bebida produzida.

Outra temática é a escolha de comparação de qualidade, escolher vinhos de uma mesma cultivar (mesmo tipo de uva), porém de diferentes preços. Neste tema, é possível analisar se o valor de cada vinho está mesmo ligado à sua qualidade. A safra não influencia tanto, no entanto você pode descobrir que nem todo vinho caríssimo é tão “top” assim!

As uvas emblemáticas de cada país também são uma forma de ampliar os conhecimentos na área de degustações de vinhos, pontuando as peculiaridades de cada variedade. Este tipo de degustação sugiro para um grupo de olfato mais apurado. Pode ser às cegas, isto é, tapar os rótulos das garrafas e tentar adivinhar de qual uva é produzida a bebida. Lembrando que, para este tema, podemos utilizar merlot do Brasil, carménère do Chile, tannat do Uruguai, malbec da Argentina, Syrah da Austrália, Pinotage da África… e por aí vai.

Confraria de vinhos: degusto, logo existo
Degusto, logo existo: registro de uma das edições da confraria, organizada pela Tássia, e que reúne seis amigos com o gosto pelo vinho em Santa Maria 🙂 O tema desse encontro foi o merlot.

Enfim, seja criativo no tema! O importante é aguçar os sentidos, identificar os aromas e sabores de cada vinho. Sem ter medo de errar ou chutar, o grupo tem que ser democrático, cada um respeitando a opinião do outro, afinal cada paladar é único.

A quantidade de garrafas a ser degustada por encontro também é um fator que deve ser levado em consideração. A minha sugestão é 4 rótulos por encontro, visto que, o nosso nariz e boca ficam saturados quando provamos muitas amostras. E também porque estamos lidando com uma bebida alcoólica! Depois da terceira taça, nossos sentidos vão perdendo a capacidade de identificação e o que era para ser uma degustação, já vira uma reunião entre amigos para beber bons vinhos. Não que isto seja ruim, longe disso… mas perde a essência da confraria de vinhos em si.

Petiscos preparados para uma das edições da confraria “Degusto, logo existo”

Beber bons vinhos sem o acompanhamento de pratos para beliscar não vale! A harmonização da comida com o vinho aumenta a gama de exploração dos sentidos da confraria. A minha dica: prefira alimentos que podem ser servidos como petisco, crie harmonizações equilibradas, cuidando para que as intensidades e contrastes combinem entre vinho e comida. Faça uma pesquisa na internet para identificar quais alimentos casam melhor com a variedade escolhida, assim cada amigo leva um “belisquete” e tá feita a harmonização, sem muita frescura.

.:: Leia outras colunas de vinho da Tássia Silveira ::.

Bom, temos o grupo, local, taças, tema, vinhos e harmonização… o que falta? Fichas de degustação. Anotar as descrições de cada rótulo é ótimo, simplifica a linha de parâmetros que devemos seguir na degustação, dentro dos aspectos visuais, olfativos e gustativos. Além disso guardamos as informações de cada vinho que bebemos no dia, assim aprendendo melhor as características dominantes de cada uva. Por isso criamos uma fichinha para você baixar em PDF para não ter desculpa para criar a sua confraria de vinhos, afinal… Leve-se pelo Mundo dos Vinhos!

Baixe aqui a ficha de degustação para sua confraria 🙂

Ah, e outra dica é a seguinte: harmonize, junto das comidinhas e dos vinhos escolhidos, uma playlist especial para o seu encontro! Essa é a nossa playlist da confraria “Degusto, logo existo!”

Tássia Silveira

Gaúcha, nascida no Coração do Rio Grande. Tecnóloga em Alimentos por formação e amante dos vinhos por opção! Incentivadora do movimento de que o vinho é para todos, afinal... Degusto, logo existo!

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *