“Mala de Leitura” levará bibliotecas itinerantes a escolas de Santa Maria

O autor das malas de leitura, Maurício Leite. Foto: Ronald Mendes

O que você colocaria dentro de uma mala de viagem? Talvez os pertences mais indispensáveis, como roupas, calçados e materiais de higiene, certo? Pois o promotor de leitura Maurício Leite resolveu encher a sua mala de livros. Muitos livros. E foi viajar pelo mundo afora. Foi assim que nasceu a Mala de Leitura, uma biblioteca itinerante que possibilita o acesso à literatura, em locais onde populações isoladas jamais conseguiriam conhecer um livro. E foi assim que Maurício Leite ficou conhecido como O Homem da Mala Azul. Ele segue espalhando suas malas repletas de livros por onde passa.
E, por meio do financiamento do Sistema Pró-Cultura RS, e do patrocínio da Eny Calçados e Fundação Eny, Santa Maria terá o privilégio de receber as Malas de Leitura neste ano. No próximo sábado será o lançamento das Malas de Leitura, no Theatro Treze de Maio, com a participação da representante da Cátedra da Unesco, da professora Eliana Yunes. A implantação das malas de leitura ocorrerá em 12 escolas de Santa Maria e o trabalho será acompanhado durante todo este ano letivo.

O que é Mala de Leitura?

As Malas de Leitura surgiram da necessidade de permitir, no interior do Brasil, o acesso de populações isoladas à leitura de qualidade e a um trabalho educativo inovador e adequado às condições locais – crianças e jovens indígenas e de famílias de pequenos agricultores rurais, com pouco ou nenhum acesso à educação formal. As poucas escolas existentes eram e são precárias, construídas com a palha de palmeiras,pouco resistentes às chuvas e ventanias; soma-se a isso, a inexistência de recursos financeiros para aquisição e acomodação e conservação de livros na quantidade necessária.

Como funciona?

Em Santa Maria, a iniciativa envolverá 12 escolas públicas – municipais e estaduais – que receberão as malas de leitura. A itinerância das malas possibilitará que cada aluno das escolas selecionadas tenha acesso a 120 livros literários, criteriosamente selecionados. Além das 12 escolas, a Mala de Leitura também envolverá pelo menos 10 instituições como unidades pediátricas, lares entre outras.

Quem participa?

A ação é destinada a alunos de 3º a 6º anos de séries iniciais. As escolas – municipais e estaduais – que receberão as malas são: Escola Municipal Major Tancredo Penna de Moraes, EMEF Vicente Farencena, EMEF Maria de Lourdes Castro, EE Margarida Lopes, EMEF Francisca Weimann, EE Reinaldo Coser, EMEF Sergio Lopes, EMEF João da Maia Braga, EE Romulo Zanchi, EE Erico Verissimo, EE Humberto de Campos e EMEF Oscar Grau.

As malas

Elas são construídas em material leve, para transportar e proteger seu conteúdo – uma “mini-biblioteca” itinerante. Instigante e rico, o acervo contido parte da realidade local, estimulando o gosto pela leitura. A mala tem uma seleção dos melhores autores da literatura infanto-juvenil brasileira e demais países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), clássicos da literatura universal e livros de imagem. O acervo se completa com fantoches, CDs, histórias e músicas infantis. Ainda há etiquetas adesivas coloridas, marcadores de páginas, brinquedos e outros objetos que encantam crianças e jovens abrindo as portas para o mundo mágico da leitura. As Malas receberam, em 2014, o prêmio Unesco de Leitura. Existem Malas de Leitura implantadas na África, Portugal, Estados Unidos e Brasil.

O autor: Maurício Leite

Há muito tempo, no interior do Brasil, um menino ganhou uma velha mala de viagem para brincar. Desde então ele começou a brincar de viajar. Recheava a mala de brinquedos, cadernos de desenho e lápis-de-cor, coleções de figurinhas e selos, fotos, gibis e muitos, muitos livros. As primeiras viagens começaram no quintal da casa do menino, debaixo da goiabeira. Eram viagens encantadas. Em cada livro aberto se desenhava uma nova aventura. Debaixo da goiabeira, mal se abria a mala, e a magia se repetia. Depois daquela primeira mala, das primeiras viagens na leitura, vieram tantas outras malas e tantos outros livros… O menino cresceu, tornou-se professor. Transmitir o amor pelos livros tornou-se o centro do seu trabalho. Hoje as malas continuam a acompanhá-lo, viajando das aldeias indígenas no coração da Amazônia, para as savanas na África, para os Estados Unidos, México e Europa.

Quem é Eliana Yunes

Eliana Yunes é graduada em Filosofia e Letras pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora Medianeira (1971), mestre em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1974) e doutor em Linguística pela Universidade de Málaga (1976), em Literatura pela PUC-Rio (1986). Tem pós-doutorado em Leitura pela Universidade de Colônia (1991). Atualmente é professor associado da PUC-Rio, e professora visitante em diversas universidades brasileiras e do exterior. Criou para a Biblioteca Nacional, o Programa Nacional de Leitura (Proler), é assessora do Cerlalc/Unesco e assumiu a direção da Cátedra Unesco de Leitura no Brasil entre 2006 e 2013.

Formação para os coordenadores do Mala de Leitura nas escolas (com o Coordenador do Mala de Leitura Maurício Leite) – 24, 25 e 26 de abril – 14h às 17h, no Itaimbé Palace Hotel

Lançamento: Dia 28 de abril, às 16h, no Theatro Treze de Maio, com palestra da professora Eliana Yunes, da Cátedra Unesco de Leitura. (convites com a produção, entrada gratuita).

Mala de Leitura tem o patrocínio da Eny Calçados/Fundação Eny e o financiamento do Sistema Pró-Cultura RS. A realização e a coordenação local é da Chili Produções. A coordenação da Mala é do professor Maurício Leite.

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *