Dia do Chimarrão: músicas para ouvir tomando seu mate

dia do chimarrão

Humberto Gessinger já canta há alguns bons anos: mãos e coração, livres e quentes chimarrão e leveza. Ilex Paraguariensis é uma das homenagens a feitas à tradicional bebida amarga que costumamos tomar pelos nossos pagos – e que os gaúchos não abandonam, estejam onde estiverem. Essa e outras várias músicas fazem alusão ao mate e hoje, no Dia do Chimarrão, resolvemos separar aqui algumas delas para você dar o play e ouvir tomando o seu chimarrão.

Ilex Paraguariensis

Referência ao nome científico da erva de chimarrão, a música foi feita por Humberto Gessinger e lançada em 1995, no álbum Simples de Coração, com a banda Engenheiros do Hawaii.

Chimarrão – Vitor Ramil (Delibab)

Vitor Ramil musicou esse lindíssimo poema de João da Cunha Vargas, no álbum Dèlibab, uma ode ao chimarrão:

Velho porongo crioulo,
Te conheci no galpão,
Trazendo meu chimarrão
Com cheirinho de fumaça,
Bebida amarga da raça
Que adoça o meu coração…

De Mão em Mão – Pirisca Grecco, João Kanieski, Pedro Ribas e Gabriel Opitz

Essa música foi feita pelos músicos Pirisca Grecco, João Kanieski, Pedro Ribas e Gabriel Opitz, para comemorar o Dia do Gaúcho, em 2015, e também homenageia a bebida amarga: “erva buena, hospitaleira, curandeiro chimarrão. Água quente une a gente, tradição de mão em mão…”

Tudo certo – Gabriel Pensador

Como bom filho de gaúcho – o pai do Pensador nasceu no Rio Grande do Sul – o rapper homenageia o amargo em uma estrofe de “Tudo Certo”, que vale à pena ouvir e cantar junto

O chimarrão na praia ou no rincão
Representa a tradição que passa de mão em mão
Da mão que passa pra boca
Da boca pra outra mão
Que passa pra outra boca com sorriso de satisfação
Abre a roda do chima, deixa eu chegar
Deixe que murcha a bomba até a cuia roncar
Damas primeiro, mas vai devagar
Cuidado que é pra não se queimar

Exaltação – Nei Lisboa

Uma letra descontraída do Nei, em 1983, já dizia…. “vai bem com tudo, é bom pros rins… e dá barato, sim”.

Mate da Esperança

A música do compositor Francisco Castilhos e interpretada por Délcio Tavares é um grande romance da tradição gaúcha.

Vou cevar um mate gordo de esperança,
com a erva verde do verde do teu olhar (…)

 

Um mate por ti

Vinícius Brum assina a composição dessa canção ao lado Beto Bollo e Apparicio Silva Rillo.

Na bomba do mate ficaram teus lábios
E o gosto maduro de mel de mirim
E se não mateio depois que partiste
É que ando triste perdido de ti (…)

 

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *