13ª RT debate o protagonismo das mulheres gaúchas nesta quarta

Durante os festejos farroupilhas, o protagonismo das mulheres gaúchas na construção dos 72 anos de história do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) ganha voz no projeto “Prosa da Cultura. As raízes femininas que sustentam o tradicionalismo e a sociedade”. O encontro ocorre nesta quarta-feira, dia 18, às 19h30, no CTG Estância do Mirim, em Restinga Seca. Ele é uma realização da entidade e é promovido pela Gestão de Prendas e Peões da 13ª Região Tradicionalista (RT). A entrada é 1 kg de alimento não perecível.

A iniciativa contará com duas “prosas” (confira a programação abaixo) que serão mediadas pelas Prendas da 13ª RT, pela 1ª Prenda do CTG Estância do Mirim, Juciara Pires, e pela Diretora do Departamento Jovem da 13ª RT, Aline Zuse. Esta é a primeira ação do CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha, um projeto do MTG que visa trabalhar a temática anual, “70 anos da Inclusão da Mulher no Tradicionalismo Gaúcho” nas entidades e regiões tradicionalistas.

A 1ª Prenda da 13ª RT será uma das mediadoras da Prosa  –  Foto: Anaí Rigão

De acordo com a 1ª Prenda da 13ª RT, Juliane Cardozo Rigão, a busca por reconhecimento e igualdade no trabalho entre mulheres e homens no âmbito tradicionalista iniciou desde que o primeiro cargo de liderança feminina foi ocupado em 1979, na Invernada das Prendas do 35 CTG.

A jovem explica que tal sociedade ainda passa por uma fase de desconstrução de um estereótipo machista e elitista, adquiridos, conforme Juliane, ainda em seus primórdios. “Há anos, a mulher deixou de possuir apenas a figura de prenda tornando-se agente da sua própria história e dos seus dentro do Movimento Tradicionalista”, pondera Juliane.

Atualmente, segundo a 1ª Prenda, as mulheres estão presentes em diferentes âmbitos, sendo responsáveis, por exemplo, por organizações internas dentro das entidades, como patroas, diretoras culturais e artísticas. Elas também ocupam cargos de direção nos Departamentos de Esportes e Campeiro, espaços que são caracterizados como “masculinos”. “Temos também diversas coordenadoras regionais e, felizmente, no ano de 2020 teremos duas mulheres concorrendo ao cargo máximo da nossa organização, a presidência do Movimento Tradicionalista Gaúcho”, afirma a prenda.

Além de refletir sobre a inclusão da mulher neste meio, as conversas também abordarão o papel do jovem tradicionalista enquanto agente transformador da sociedade. “Teremos a participação de diversas mulheres e jovens que contarão as suas histórias junto ao Movimento Tradicionalista Gaúcho”, explica a 1ª Prenda da 13ª RT.

Sentinela da Humanidade

O “Prosa da Cultura”  integra o projeto “Sentinela da Humanidade: o coração do Rio Grande abraça a sociedade”, idealizado e posto em prática pela Gestão de Prendas e Peões da 13ª RT.

De cunho cultural e social, ele, de acordo com Juliane, busca abordar ações de interesse da sociedade, não apenas da tradicionalista, para formar tradicionalistas cientes do seu impacto na sociedade.

 

PROGRAMAÇÃO

“Prosa da Cultura. As raízes femininas que sustentam o tradicionalismo e a sociedade

19h30: Credenciamento

20h: Início da Prosa com o tema: “Os 70 anos de inclusão da Mulher no Tradicionalismo” –  Mediadores: Prendas e Peões da 13ª RT

21h: Coffee Break

21h15: Retorno da Prosa com o tema: “O Jovem Tradicionalista como agente transformador” – Mediadora: Aline Zuze – Diretora do Departamento Jovem da 13ª RT.

22h: Encerramento e Entrega da Certificação

 

 

POR Letícia Sarturi Isaia

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *